Monday, January 08, 2007

Miúdos


Se carregarem na imagem que incluo neste post e a lerem verão a resposta de um aluno que, quando questionado sobre o papel da escola na formação do cidadão, fala sobre o papel... A4!

No entanto, e por hilariante que possa parecer, acho que é uma daquelas situações em que por vezes um aluno é penalizado como se tivesse feito algo de errado propositadamente sem que tal tenha acontecido...

Deixem-me dar um exemplo, e notem que o post se começa a tornar sério, apesar da situação parecer engraçada.

Acabava eu de sair da escola primária e começavam as aulas do quinto ano.

Primeiro teste: Ciências da Natureza!

Primeiro grupo de questões: "Classifique as seguintes frases."

O objectivo era dizer se as frases eram verdadeiras ou falsas...

Ora como eu não estava habituado à separação de matérias por disciplina, eu interpretei aquilo como uma pergunta de Português e classifiquei as frases como sendo declarativas, imperativas, etc...

Levei um raspanete...

E mesmo levando o raspanete, fiquei convencido de que o tinha levado por ter classificado mal as frases...

É que durante muito tempo nem percebi que o objectivo daquela questão era outro!

E à professora, claro está, nem sequer lhe passou pela cabeça que eu tivesse feito aquilo inocentemente; assumiu apenas que eu estivesse a gozar com ela e, como tal, nem me deu qualquer explicação.

Rapidamente passando de um dos melhores alunos da turma (na primária) para um dos piores, o pensamento que me ocorreu foi tão simples quanto: "Bolas... o quinto ano é mesmo difícil..."

Completamente desanimado, deixei de estudar. Para dizer a verdade, aquele foi o único teste para o qual estudei durante muitos anos.

Felizmente, muito em breve, e ainda sem estudar, era novamente um dos melhores alunos da turma.

Mas a verdade é esta: há muita gente pelo mundo fora a lidar com crianças sem ter capacidade para tal; gente sem capacidade para as compreender.

E este facto entristece-me.