Sunday, January 21, 2007

Ora então toca a explicar mais umas expressões idiomáticas...

Borrona

Cá por Lisboa chamam-lhes marcadores. No norte, são borronas. Mas nem todos os marcadores são borronas... Aqueles que se usam para escrever nos quadros, aqueles mais grossos, são mesmo marcadores. Aqueles que os miúdos usam para colorir livros é que nós chamamos borronas.

Pêra

Uma pêra é um soco. Dar uma pêra, ou dar um pêro, na cara de alguém, provavelmente não será uma coisa boa...

Ir a modinho

Quando se vai a conduzir por uma estrada cheia de buracos, por exemplo, convém ir a modo, ou a modinho. Ambas as expressões significam a mesma coisa: ir devagar, ir com cuidado.

É o contrário de andar ligeiro.

Picheleiro

No norte, é um homem que trabalha com canalização. No sul, é um homem que trabalha com estanho.

Lanche

Um lanche é uma espécie de bolo, com uma massa semelhante à que se usa para fazer bôlas, e com fiambre ou chouriço por dentro. Nham, nham...

Tralho

Um tralho é um trambolhão. Quando alguém cai pelas escadas abaixo, por exemplo, em Lisboa, diz-se que dá um tralho. Uma outra expressão é "uma palhaça". Dar uma palhaça também é dar um trambolhão.

Fazer e desfazer a barba

Parece incrível, mas o acto de cortar a barba é descrito como desfazer a barba ou como fazer a barba, e quem usa uma das expressões não parece compreender a outra.

No entanto, parece que estas expressões não estão tão ligadas ao norte ou ao sul do país, já que se encontram pessoas em ambas as zonas a usar ambas as expressões.

A título informativo, eu faço a barba O:-)