Tuesday, March 27, 2007

Pagar com moedas

Há umas semanas ouvi a história de um sujeito que, como forma de reclamação para com as finanças, pagou uma verba superior a 100 euros com, salvo erro, 4 sacos de 2 quilos cada, repletos de moedas de 1 e 2 cêntimos. O homem foi ao banco levantar o dinheiro, pediu o dinheiro naquelas condições, deram-lho e lá foi ele para as finanças.

Disseram-me ainda que no balcão das finanças, após terem contado todo o dinheiro e verificarem que a quantia não estava certa, o homem garantiu que estava e foi necessário contar o dinheiro novamente (e sim, o dinheiro estava certo).

Até aqui, tudo normal.

Agora... O que pouca gente sabe é que, aparentemente, por lei, uma entidade pública não é obrigada a aceitar um pagamento se o mesmo não fôr efectuado com quantidades de notas e moedas dentro do bom senso.

Não me perguntem onde é que está a linha, mas eu diria que uns quilos de moedas de 1 e 2 cêntimos para pagar mais de 100 euros, claramente, não é uma quantidade dentro do bom senso.

Agora...

A primeira coisa que me ocorreu foi...

O homem vai ao banco, levanta o dinheiro, chega às finanças e dizem-lhe:

- Ah, lamentamos, mas não aceitamos o pagamento dessa forma!

E o homem lá segue todo lixado em direcção ao banco, aproxima-se do balcão, pede para depositar novamente o dinheiro e respondem-lhe:

- Ah, lamentamos, mas não aceitamos depósitos dessa forma!

Era giro, não era? :-)