Tuesday, August 14, 2007

Semana e meia na montanha, Acto II - Coisa fofa

Eram já quatro da manhã quando entrei na sala, meio ensonado.

Por entre os olhos entreabertos reparo em algo a rebolar e a saltar por cima dos colchões e dos cobertores à minha frente, a olhar para trás com um olhar assustado, enquanto os altos e baixos lhe atrapalhavam a fuga.

À primeira vista, parecia apenas um novelo cinzento.

Senhoras e senhoras, apresento-vos a coisa mais fofa da actualidade:



Piruças Patarreca Patuda da Silva!

No decorrer dos dias seguintes a Reca habituou-se a nós e, pelos vistos, adoptou-nos. Conseguiu-nos convencer a dar-lhe de comer e a continuar a deixar certas janelas abertas para que pudesse entrar a meio da noite.

Também conseguiu fazer porcaria na cozinha por duas vezes e safar-se de boa com o seu olhar meigo.

Lá para o meio da semana já respondia ao chamamento de 'Quenita.

A dada altura, depois de jantar, vi um gato ao longe que me pareceu ser ela (mas que não era).

Chamei:

- Pequeniiiiita!

Mal eu tinha reparado que a pequenita dormia mesmo aos meus pés. Acordou com o chamamento e, mesmo antes de bocejar, respondeu-me:

- Méu!