Wednesday, December 31, 2008

A importância de uma vírgula

Podem-me chamar um nazi da gramática, mas o que é certo é que me irrita a colocação de vírgulas nos locais errados.

Vírgula de Oxford, eu aceito.

Mas vírgula só porque se acha que fica bem é que não.

No site de uma empresa que faz entregas ao domicílio encontrei a seguinte frase:

"Só aceitamos cheques, perante a devida identificação."


Eu sei o que eles querem dizer. O que eles querem dizer é:

"Só aceitamos cheques perante a devida identificação."


Ou seja, se não se apresentar a devida identificação, não aceitam os cheques.

No entanto, o que eles estão a dizer, na verdade, é que só aceitam cheques, e mais nenhum meio de pagamento. Para além disso, dizem também que só aceitarão os cheques perante a devida identificação.

Mas será assim tão difícil perceber isto?

Tuesday, December 23, 2008

Mais detalhes sobre a lista e algumas regras

Finalmente consegui actualizar a lista para que a mesma ficasse com 101 ítems.

Os primeiros serão fáceis, os intermédios serão difíceis, e os finais quase que aparentam ser impossíveis, mas enfim... Toda a longa caminhada começa com um passo.

Todos os ítems são claramente mensuráveis (pelo menos do meu ponto de vista), de modo que não existe a possibilidade de eu me iludir e dizer que já completei um dos objectivos sem o ter realmente feito.

De resto, convém salientar que estipulei uma regra.

Regra #1 - Um ítem pode ser removido da lista, caso a conclusão do mesmo seja impossibilitada por motivos que me sejam alheios. Caso tal se suceda, o mesmo será substituido por outro de igual ou superior grau de dificuldade, ou de igual ou superior significado pessoal.

Faz todo o sentido, na minha opinião.

E dito isto, cá vamos nós...

Antecipam-se tempos interessantes...

Friday, December 19, 2008

Doido, eu? Não... Doidos são eles!

Mostrei a minha lista de 101 coisas em 1001 dias a algumas pessoas mais chegadas.

Convém salientar que a lista estava organizada de modo que os ítems mais simples se encontravam no início e os mais complicados no final.

O objectivo era que eu pudesse começar a cumprir os primeiros ítems da lista fácil e rapidamente, de modo a criar motivação e dinamismo extra.

Pois bem, ainda pensei que me fossem dizer, ao olharem para a lista, que realmente eu estava a ser demasiado exigente comigo próprio, ou que porventura estaria a fantasiar demasiado...

Não, antes pelo contrário...

Fui praticamente obrigado a remover da lista os ítems mais simples!

Praticamente tive que regatear para que alguns deles pudessem ficar!

Sim, bem sei, a lista é minha, mas eles não deixavam de ter razão...

Moral da história: a lista perdeu cinco ítems, que serão brevemente substituídos.

De qualquer das formas, continuam lá algumas tarefas bem simples, para que os primeiros passos não tenham que ser logo de gigante...

Thursday, December 18, 2008

101 coisas em 1001 dias

1001 dias passam a voar (a menos que nos chamemos Xerazade, imagino eu).

Já toda a gente deve conhecer aquela história da lista de 101 coisas para fazer em 1001 dias, certo?

Long story short, eu também fiz uma!

Mas não, não a vou publicar aqui.

Acho que qualquer pessoa que não me conhecesse e olhasse para a lista diria que eu sou doido (se bem que os que já me conhecem já o dizem, provavelmente).

Alguns dos ítems da lista são simples, mas outros... Bem, os outros são bastante ambiciosos.

Para dizer a verdade, a lista até a mim assusta... E olhem que eu não me impressiono facilmente...

O que realmente acontece é que, quando todos estes ítems são colocados num conjunto, a lista que se forma parece irreal e impraticável.

Vai daí, não a vou tornar pública... Por agora...

O que deverei fazer, isso sim, é ir publicando as actualizações à lista.

Ou seja, posts como "Dia X de 1001 - concluídas as tarefas #x, #y, #z", e aí sim, dizer o que eram.

De qualquer das formas, acho que tem mais piada ler as coisas que a pessoa tem feito do que uma lista de coisas que a pessoa pretende fazer nos próximos quase três anos.

A menos que essa lista inclua coisas como "no dia X, vou assaltar um banco".

Aí sim, é capaz de ter piada.

Wednesday, December 17, 2008

"É um bilhete?"

Entro no autocarro e pouso uma moeda de dois euros junto do condutor.

O homem olha para mim durante uns 2 segundos e depois diz, seriamente:

- É um bilhete?

- Como?

- Estou-lhe a perguntar se quer um bilhete.

Estava à espera de tudo menos aquilo.

Claro que queria um bilhete! Ia querer o quê? Carapaus fritos?

Meio hesitante, respondo:

- Sim...

O homem começa a tirar o bilhete dizendo:

- Não fique admirado... Há dias pousaram-me uma moeda de dois euros, eu tirei o bilhete na máquina, vou a entregá-lo à pessoa e ela diz-me:

- Er... Era só para destrocar...

Mas... Quem é que entra num autocarro para destrocar dinheiro e o pousa sem dizer o que quer?

Tuesday, December 16, 2008

A vida secreta do Multinho

Pois é, anda para aí toda a gente a queixar-se que mudaram o boneco do multibanco.

Este é o antigo, que tanto quanto sei se chama Multinho:



Mas sinceramente, não é bem o boneco novo que me incomoda...

O antigo é que sempre me incomodou...

Não sabem porquê?

Ora vejam mais de perto:



Ainda não descobriram?

Eu dou uma ajuda!





Pois é, o Multinho sempre teve uma perna mais comprida que a outra!

Diz-se que foi na guerra que ficou assim, mas eu não acredito!

Não acredito, porque uma vez na escola primária andei à porrada com outro miúdo e as minhas pernas têm as duas o mesmo tamanho!

Cá para mim, foi defeito de fabrico.

Mas é terrível!

E eu sempre reparei nisto!

E é horrível, reparar nisto!

De cada vez que ia levantar dinheiro, o Multinho aparecia-me sorridente e eu tinha que disfarçar, tinha que fazer de conta que ele era perfeitinho, para não o fazer sentir-se mal!

Mas tudo bem, eu aguentava...

Mas... E agora?

Sim, e agora?

Para onde é que o Multinho vai trabalhar, com uma perna mais comprida do que a outra?

Esta vida é tramada, digo-vos eu...

Wednesday, December 10, 2008

Bolas

Os moços preparam-se para sair e ir jogar futebol, e comentam sobre a necessidade ou não de usar coquilha.

Diz um deles:

- Ora, no hóquei também se usa coquilha, por isso nós também devíamos usar!

- Sim, mas no hóquei há tacos!

- Ora, o problema não são os tacos, o problema são as bolas!

E eu não poderia concordar mais.

(e a quem tiver passado despercebida a alusão, sugiro que leia outra vez)

Alma gémea?

Ontem uma amiga minha queixava-se que eu não escrevia o suficiente.

Rapariga, este post é em homenagem a ti.

Infelizmente, é sobre outra...

Estava então eu numa animada conversa de grupo quando uma rapariga diz algo sobre um blog dela e eu pergunto:

- Sobre que é o teu blog?

Ela sorri, meio envergonhada, e diz, entre risos:

- Ui... Eu tenho muitos blogs...

E daí o título deste post, "alma gémea".

Perguntei imediatamente:

- A sério? Quantos tens?

E o pedestal desmoronou-se à medida que ela pronunciou:

- Tenho quatro...

Bah...

Principiantes...

Wednesday, December 03, 2008

Café

Eles pedem um café cada um, puxam ambos da carteira e a senhora pergunta:

- É separado?

E eu respondo:

- Sim. Duas chávenas!

Wednesday, November 12, 2008

Amanhã: SAPO Codebits

É já amanhã que começam três dias entre 500 geeks.

Na Sexta de manhã tenho que falar durante uma hora. Estou meio engripado (não, não foi do balão), a ver se isto passa a tempo.

Ficam aqui o meu perfil na conferência e a descrição da minha talk.

Se estiverem por lá, apareçam na minha apresentação. Prometo que não vai haver sapateado :-)

Fui andar de balão

Ganhei uma viagem de balão num concurso interno da PT e lá fui eu.

Foi muito, muito bom.

Pontos altos:


  • Segurar o balão enquanto o enchíamos;

  • Subir acima dos 1,000 metros;

  • Sobrevoar uma vinha a uns dois metros dela;

  • Deixar todos os outros balões para trás e só depois ficar a saber que o nosso piloto já venceu não-sei-quantos campeonatos;

  • Baixar junto a uma cerca para apanhar mais dois passageiros;

  • Uma aterragem mais que perfeita.

Notas interessantes:

  • No balão não se sente vento, porque o balão desloca-se com ele (de qualquer das formas, é sempre difícil sentir frio quando temos um enorme lança-chamas por cima da cabeça);

  • Para baixar, continua-se a ligar a chama; simplesmente o fazemos com menos frequência.

Conversa #1:
- E como é que se meteu nisto dos balões?

- Foi na Força Aérea.

- Na Força Aérea? Há lá balões?

- Sim, para saltar de pára-quedas.

- De... pára-quedas?

- Sim. Fica mais barato do que saltar de avião.

Conversa #2:

- Nunca lhe aconteceu de aterrar e vir o dono do terreno de espingarda em punho?

- Já, mas às vezes também vem o dono do terreno com um garrafão de vinho e uns copos!

Conversa #3:
- E qual foi a pior aterragem que já teve?

- Aí uns 200 metros.

Em suma, foi uma experiência excelente.

Todos foram extremamente profissionais e com um sentido de humor à altura do evento: a organização, o piloto e a equipa de resgate (e os passageiros também se portaram bem).

Obrigado, pessoal!

No entretanto, a Isa já colocou algumas fotos online.

Monday, November 03, 2008

É já para a semana...



400 geeks.

3 dias.

24 horas por dia.

E carradas e carradas de surpresas e divertimento.

Thursday, October 30, 2008

Se Camões tivesse um filho...

Se Camões tivesse um filho, será que alguém ia dizer: "Tem o olho do pai..." ?

Tuesday, October 07, 2008

Para referência futura

Durante anos tive o número 962453400.

Depois, durante mais alguns anos, tive o 937552015.

E porque escrevo eu isto aqui?

Para referência futura, e para que alguém que tenha perdido o contacto comigo consiga agora encontrar esta página.

Thursday, October 02, 2008

Pesadelos de infância

Quando era pequeno tinha por vezes pesadelos em que chegava à escola e só lá dava por ela que estava de pantufas.

Saía do carro, fechava a porta atrás de mim, a minha mãe arrancava, eu olhava para baixo e... "Oh, não! Vim de pantufas!"

E vocês?

Friday, September 26, 2008

Entrevistei o Pedro Tochas

Sim, estou a falar a sério.

Foi uma entrevista curta, que homens ocupados têm pouco tempo para estas coisas (refiro-me ao motorista do autocarro que acabou por nos expulsar).

Ora cá vai a conversa, onde o JC sou eu, e não o Jesus Cristo, e onde o PT é o Pedro Tochas:

JC - Pedro, quem te corta o cabelo?

PT - Carlos Gago, o melhor cabeleireiro de Portugal e grande amigo meu. Já me corta o cabelo há mais de 10 anos.

JC - Porque é que nunca tiraste a carta de condução?

PT - Uma pessoa tem que assumir que há coisas para as quais não nasceu.

JC - Qual é o sonho que ainda tens esperanças de realizar?

PT - Conseguir ensinar a minha cadelita a ir buscar-me um iogurte enquanto eu jogo World of Warcraft.

JC - O que é que achas que faz falta em Portugal no mundo das artes?

PT - Que o nível cultural do país aumente, era bom para todos.

JC - Como é que as pessoas podem seguir as tuas andanças, os teus espectáculos e tudo o mais em que estás envolvido?

PT - Dando uma vista de olhos no meu site (www.pedrotochas.com) e subscrevendo a minha newsletter (Tochas News) assim fica a par de tudo.

JC - Achas que mais pessoas deviam ler o meu blog? [sim, o meu]

PT - Claro que sim. Porque é um blog e pêras. Até vou passar a ler, no futuro.

JC - Como gostarias de te ver daqui por uns 12 meses?

PT - Vivo e de boa saúde.

Da minha parte, resta dizer que faço votos para que dentro de 12 meses o Tochas continue vivo, de boa saúde, e a dar espectáculos com grande audiência.

O Pedro está neste momento a dar o pontapé de saída da sua nova tour, com o espectáculo Já tenho idade para ter juízo.

Datas, locais e informações sobre bilhetes aqui.

Recomendo vivamente. Aproveitem, que espectáculos destes não há todos os dias.

Tuesday, September 23, 2008

Surf

Ela saiu de casa no Sábado de manhã para ir à sua primeira aula de surf...

Eu não...

Mas não é isso que me chateia...

Ela passou umas horas na água, em cima de uma prancha, nas ondas...

Eu não...

Mas não é isso que me incomoda...

Ela apanhou super bom tempo e divertiu-se imenso...

Eu não...

Mas não é isso que me irrita...

O que realmente me chateia, me incomoda, me irrita, e me anda às voltas na cabeça...

É que ela levou com a prancha nos queixos...

E eu não vi!!!

Resumindo, para a semana vou com ela.

Se não for mais nada, vê-me ela a mim a apanhar com a prancha.

Espero que esteja bom tempo.

Saturday, September 20, 2008

Nota mental #5

Antes de desligar o telemóvel novo, ao entrar no cinema, convém verificar que sabemos o pin...

Thursday, September 18, 2008

Nota mental #4

Não esquecer de tirar os dedos da frente da porta antes de a fechar.

Monday, September 15, 2008

Violência Doméstica

E se o marido bater na mulher no meio da rua, continua a ser violência doméstica?

Saturday, September 13, 2008

Mad Max

Quem vir a programação da RTP 1 para hoje à noite até é capaz de lhe achar piada:



Dois filmes do Mad Max, hein?

Só há um pequenino pormenor...

Um, só...



É que o Mad Max Além da Cúpula do Trovão é o Mad Max: Beyond Thunderdome.

O Guerreiro da Estrada é o Mad Max 2: The Road Warrior.

Ou seja...

Primeiro vão passar o terceiro filme da trilogia...

E logo a seguir vão dar o segundo...

Quer-me cá parecer que alguém se enganou...

Tuesday, September 09, 2008

Grávida de gémeos

Ela - E ela ficou grávida de gémeos!

Eu - Xi... Ganda maluca...

Perante o ar de choque de todas elas, finalmente percebi que a miúda afinal só ia ter gémeos.

Monday, September 08, 2008

ASAE

E a meio da conversa lá alguém sugeriu:

- Então e se a ASAE fosse à Assembleia da República? Será que fechavam aquilo?

- É provável... Aquilo está cheio de parasitas...

Thursday, September 04, 2008

T-Rex

Os T-Rex são invariavelmente denotados com um ar que é um misto de agressividade com desespero.

E sabem porquê?



Porque se vocês tivessem comichão nos tomates, e tivessem aqueles bracinhos... Que cara é que vocês fariam?



Não admira que se tenham extinto...

Saturday, August 30, 2008

Tutti!

Ter um pai que fala Italiano tem destas coisas...

Ele - Então, está tudo bem?

Eu - Tutti.

Ele - Sabes... "Tutti" quer dizer "todos"...

Sunday, August 17, 2008

Viagens, viagens, viagens...

Já realizei as três viagens que tinha programado para este ano: Chicago, Tóquio e Copenhaga.

Curiosamente, sou agora tentado com Pittsburgh, Málaga, Londres e um outro destino que ainda não quero tornar público.

Tudo ainda para este ano.

Hum... Decisions, decisions...

E a YAPC::EU::2009 vai ser em...

Lisboa, Portugal.

Deixo-vos com um vídeo do Curtis "Ovid" Poe.


YAPC::EU Promo from Curtis Poe on Vimeo.

Wednesday, July 16, 2008

Nova página pessoal

Remodelei a minha página pessoal.

Cá está ela: http://jose-castro.org/.

Friday, July 11, 2008

Friday, June 27, 2008

Thursday, June 26, 2008

Não foi bem o que eu estava à espera...

Eu sei, eu sei... Enviei um mail a uma série de gente a dizer que ia ficar sem telemóvel a partir de Sexta-feira, final da tarde (afinal de contas, tenho que o entregar)...

Infelizmente, na Quarta-feira ao final do dia, devido a uma "mudança de tarifário" nos telemóveis da empresa, fiquei "sem crédito".

Fiquei chateado por não poder fazer chamadas ou enviar mensagens, até porque isto significava que não poderia responder às mensagens que me estavam a enviar, e nem tinha qualquer forma de explicar às pessoas do outro lado porque é que não estava a responder ou a ligar de volta... Mas tudo bem...

Pedi que me resolvessem o problema...

Em vez disso, o meu número foi cancelado...

Mesmo a jeito...

Mesmo na altura em que mais falta me está a fazer...

Uma pessoa a saber que fica sem telemóvel no dia X, faz os seus planos, e fica sem telemóvel no dia X-1...

Mas tudo bem...

Fica pois a nota de que, quando me ligarem e ouvirem que "o número para o qual ligou não está atribuido" ... Não fui eu quem se enganou na data, está bem?

Peço desculpa a todos os que me estão a tentar ligar, sem sucesso.

Da minha parte, não foi propositado.

E dito isto, sigo para mais um jantar (mas desta vez sem telemóvel para poder ligar às pessoas e encontrar-me com elas).

Notas soltas e notas presas

Ainda cá estou.

Ultimamente passei por Tóquio, Braga e Chicago. Uma conferência em cada sítio.

Falando de viagens, eis as próximas:



Para mais informações sobre as minhas viagens, podem seguir este link.

Continuando com as notícias, despedi-me.

Amanhã é o meu último dia de trabalho.

Não, não, esperem... Pois, não é assim tão bom... Amanhã é o meu último dia de trabalho "aqui".

Último dia de trabalho... Isso é que era bom... Não, *ainda* não sou bilionário.

Quanto ao meu novo local de trabalho...

É segredo...

Tuesday, June 17, 2008

Duh...

90% Geek

Created by OnePlusYou

Sunday, June 15, 2008

A título informativo...

Já me encontro em Chicago.

Saturday, June 14, 2008

E cá vou eu outra vez...

Numa altura em que não havia despertadores, e sendo uma vantagem estratégica para os índios norte-americanos atacar os caras-pálidas antes destes acordarem, os mesmos possuíam uma técnica excelente para acordar ainda de noite.

Antes de irem dormir, os guerreiros bebiam enormes quantidades de água.

Algumas horas depois, tendo já descansado um pouco, a natureza chamava os guerreiros, que se levantavam, despejavam o líquido, e partiam para a guerra.

Hoje em dia, já há despertadores, mas eu não confio muito neste, de modo que acabo de ingerir cerca de 1 litro de iced tea (sim, o calor e a desidratação do dia de hoje ajudaram).

Amanhã, pelas 6 da matina, ponho-me a pé.

Corro para o aeroporto, que de certeza que não vou acordar bem às 6, e meto-me num avião para Paris.

Chegando a Paris, corro para outro terminal.

Corro, porque alguma mente brilhante numa agência de viagens acha que mudar de terminal no Charles de Gaulle é exequível em menos de uma hora.

Depois, sigo para Chicago, uma vez mais, onde passarei a próxima semana na companhia de muitos amigos; alguns deles, não vejo há muito tempo; outros, parece haver algum tipo de magnetismo que nos une.

A Karen, por exemplo.

Estive com ela duas semanas em Tóquio.

Na semana passada, estive com ela em Braga.

A partir de amanhã, vou estar com ela em Chicago.

E em Agosto, mais uma semana em comum em Copenhaga.

E como se isso não bastasse, descobri há pouco que até vamos no mesmo voo de Paris para Chicago!

Ele há coisas...

Bem, vou-me, que se faz tarde. Quando voltar trago novidades, sim?

Tuesday, May 27, 2008

Só para dizer que...

Já fui ao Japão e já vim.

Apaixonei-me pelo país.

É possível que haja em breve uma talk "All you need to know about Japan!"

É possível que a talk seja sujeita a convite.

Monday, April 28, 2008

Academia Militar

Foi há já algum tempo que passei duas semanas na Academia Militar, em formação de liderança.

Sei que tenho muitos amigos a aguardar, desde então, que escreva sobre o assunto.

Acontece que, quando as coisas são a sério, é sempre preciso algum tempo para digerir...

Eu precisei de mais de 6 meses.

Faço tenções de escrever mais sobre o assunto, mas de momento ficam algumas notas soltas.

De 0 a 20

Algures entre o 19 e o 20.

Foi sem dúvida a melhor experiência que tive até hoje a muitos níveis.

E eles, percebem do assunto?

E de que maneira.

Senão vejamos: o exército português já existe há uns 900 anos.

Qual é a principal tarefa de um exército?

Liderar.

Ora com 900 anos a liderar...

Estão a ver como os samurais eram tão bons a combater porque já o faziam há milhares de anos?

Pronto, perto de um milénio de liderança também trouxe bons resultados.

Fiquei especialmente surpreso quando me deparei com várias publicações (tanto revistas como livros) de extrema qualidade e que não chegam ao público cá fora...

Sim, há lá livros de liderança que não estão (que eu saiba) acessíveis ao público em geral.

Mas e passar a mensagem, conseguem?

Claro que conseguem, e de uma maneira mais pedagógica que muitos professores extremamente conceituados que eu já tive...

Nas 17 horas diárias de actividades (o descanso que tínhamos era para dormir, das 00h00 às 07h00, e pouco mais), tudo estava preparado ao pormenor, e muitas das actividades tinham objectivos que nos ultrapassavam.

Por exemplo: rapel australiano.

E dizem vocês: mas o que é que isso tem a ver com liderança?

À primeira vista, nada, não é?

Mas o que é certo é que as pessoas reagem de forma diferente ao stress e aos desafios.

Neste exemplo, algumas pessoas vão logo sem pensar, outras recusam-se, outras ponderam e finalmente arriscam, algumas ficam paradas a meio...

E só depois do exercício estar completo é que nos explicam o que se passou, porque desempenhámos aquela actividade, que paralelos podemos criar com o mundo profissional, e o que podemos tirar daquela experiência.

Mas espera aí... disseste... 17 horas diárias?

Sim, disse.

Foram 14 dias assim.

Como disse, tudo estava pensado ao pormenor, e essa carga horária, as actividades, as refeições, e tudo mais, não eram excepção.

Reparem... Não há melhor maneira de compreender o stress do que passar por ele...

Já me fiz entender?

Sim, senhor... Mais algum ponto de relevo, de momento?

Sim.

Um muito obrigado aos formadores e aos cadetes que nos acompanharam.

Grande experiência.

Thursday, April 17, 2008

Grande desculpa

E sem mais nem menos ela diz-lhe:

- Sou maníaco-depressiva, por isso posso fazer destas coisas.

Bela desculpa, hein?

Quando for grande...

Quando for grande, também quero comandar uma Battlestar!

Senão vejamos:

Edward James Olmos nasceu em 1947.

edward olmos.png

Talvez o conheçam da fabulosa série Battlestar Galactica, onde comanda a Battlestar com o mesmo nome (num post futuro falo-vos sobre a série).

O que pouca gente sabe é que este homem tem uma relação com Lymari Nadal, a belíssima actriz do American Gangster, nascida em 1978.

lymari.png

Nascida, portanto, quando ele tinha 31 anos.

Pois é...

Battlestar...

Miúda 31 anos mais nova...

edward olmos e lymari.png

Sim senhor, hã?

Está feito! Planos para o futuro: comandar uma Battlestar!

Eu vou só ali comprar umas fraldas, que pode ser que a mulher da minha vida um dia desses... nasça!

Viagens para este ano

Depois do post da Bad e de um comentário por parte de uma outra pessoa próxima, fica aqui a minha pequena lista de viagens programadas para este ano:


  • Chicago, E.U.A.

  • Tóquio, Japão

  • Copenhaga, Dinamarca



E o que é que falta aqui, então?

Costa Rica, pois!

Wednesday, April 16, 2008

Nick Cave, o cantor bipolar

Dizia uma amiga minha e eu concordo:

- Há dois Nick Caves!

É verdade.

Um deles é calmo. É negro, apaixonado e pessimista. Escreveu músicas como Straight to You, Ship Song, Weeping Song e Into My Arms. A sua voz, ao cantá-las, chega a ser tão triste que ao ouvi-las uma pessoa até tem pena do cantor.

O outro é mais arruaceiro. É mau, tem poucos amigos e parte tudo. Escreveu músicas como Tupello, Jack the Ripper, Mercy Seat e John Finn's Wife. A sua voz, ao cantá-las, chega a ser tão forte que ao ouvi-las uma pessoa até tem pena de quem se meter no seu caminho.

Este segundo, agora já mais velho e aparentemente um pouco mais calmo, deixou crescer o bigode, lançou um novo disco e vem a Portugal apresentá-lo.

Dig, Lazarus, Dig!!!

Já dia 21 de Abril.

Tu dá-lhe, Nick!

Monday, April 14, 2008

Notas soltas

Seguem-se algumas notas soltas que demonstram claramente duas coisas:

- ainda estou vivo;

- continuo no continente errado.

Ora vejamos...

Sushi

Estou com uma saudade enorme de comer sushi. Aceitam-se convites.

Japonês

As aulas de japonês continuam a avançar.

Já consigo formular frases como "Vamos tomar um copo a tua casa?"

Não é uma frase muito comum, bem sei, e a maioria dos leitores provavelmente preferiria saber dizer "Na tua casa ou na minha?" Mas reparem... Uma vez lá, a minha casa vai estar inconvenientemente longe!

Japão

Falta menos de um mês para ir ao Japão!

Já há uma série de planos, mas a única coisa de que tenho a certeza é que aquelas duas semanas vão saber a pouco...

YAPC::Asia

Esta conferência vai ser a maior YAPC até à data.

Já fiz apresentações para mais de 400 pessoas, mas desta vez o número de inscrições já ultrapassou as 500!

Entre várias centenas de japoneses vão estar também presentes na conferência 10 americanos, 5 sul-coreanos, 2 irlandeses e alguns solitários de outros países: Israel, Portugal (adivinhem quem), China, Tailândia, Canadá, Alemanha (a título informativo, um dos tipos por detrás do jquery), Suécia e Áustria. Exactamente 25 outsiders :-)

Resta dizer que, uma vez mais, tenho uma keynote de abertura e uma talk de fecho por minha conta.

E como não poderia deixar de ser... As japonesas

As miúdas japonesas conseguem mesmo ser muito sexys. Obrigado ao Miyagawa por me ter apresentado as Perfume e a sua música "Secret Secret":



Enfim, se calhar são o equivalente às nossas girls bands, e possivelmente até será por ainda não perceber tudo o que elas dizem que a música me soa bem, mas pelos menos sempre são mais giras.

Saturday, February 23, 2008

Tarefas críticas

Não há nada como entregar uma tarefa crítica a alguém e, passados uns minutos, receber um sms da pessoa a dizer, única e simplesmente:

- Oops...

Bem, já me ri mais hoje do que na semana anterior toda.

Thursday, February 21, 2008

É hoje, é hoje, é hoje!

SUUUUUUUUUUUUUUUUUSHHHHHHIIIIIIIIIIIIIIIIIII!!!!!!!!!!!!!!

Pensamento actual

É engraçado como por vezes descuramos as pessoas que realmente merecem a nossa atenção em prol das pessoas que não a merecem...

Monday, February 18, 2008

A pergunta que se impõe é...

...Onde é que se meteu toda a gente no preciso momento em que quero convidar alguém a ir a um restaurante japonês?

Ó Manuel Luís Goucha... Ganha juízo!

Fazia eu zapping para tentar perceber a dimensão das cheias em Lisboa quando paro na TVI.

Tinha acabado de começar o programa do Goucha.

Ele e a sua co-apresentadora comentavam alegremente as imagens que iam passando.

A dada altura mostra-se um túnel inundado com um carro vazio lá dentro e um reboque a tentar ir buscá-lo (acho que qualquer pessoa que tenha visto televisão hoje de manhã deve ter visto aquela imagem, porque a estavam sempre a repetir).

O nosso Manuel diz então, com a alegria de um tripeiro anti-capital:

- E aqui temos o túnel do Marquês inundado! Não sei, é um túnel novo, se calhar tem algum problema...

E eu digo...

Ó Manuel...

Ó Goucha...

Ganha juízo, pá...

Chamares túnel do Marquês ao túnel do Campo Pequeno fica-te mal, pá...

Friday, February 15, 2008

Sweeney Todd é...


...Uma verdadeira obra de arte.

Não vos vou estragar a experiência e só vos vou dar pormenores que se adquirem nos primeiros minutos do filme, pelo que podem ler o post à vontade.

Sweeney Todd, um homem desfeito por dentro, regressa a Londres.

Há 15 anos atrás, um juíz que lhe cobiçava a mulher acusou-o injustamente e enviou-o para o exílio.

15 anos de desespero e de raiva, de auto-destruição e sede de vingança.

Sweeney regressa então a Londres e procura saber da sua mulher e da sua filha.

Depois de descobrir o destino que a sua família teve, Sweeney começa a preparar a sua vingança... E quando falo em vingança, esta mete o Conde de Monte Cristo no bolso...

Deixo-vos uma pequena cena do filme, que contextualizo da seguinte forma:

- Sweeney acaba de saber do destino que a sua mulher e filha tiveram
- Mrs. Lovett diz-lhe que encontrou e escondeu as suas lâminas
- Mrs. Lovett tem um fraquinho por Sweeney
- Mrs. Lovett entrega as lâminas a Sweeney
- Sweeney recebe as lâminas e trata-as por "My Friends" ("minhas amigas")

Coloquem os auscultadores e vejam tudo do princípio ao fim (não chega a 4 minutos), que o crescimento da cena é excelente e o final apoteótico.

Se possível, vejam em full screen.



Este é apenas um pequeno excerto de uma excelente obra, e nem é dos melhores, mas foi o que consegui encontrar disponível online; mas não procurem mais, vão ver o filme, ao cinema, num ecrã gigante.

14 de Fevereiro

Sem mais nem menos ela diz-me para tirar a roupa.

Eu tiro.

Sem pressa.

Com calma.

A temperatura no quarto está amena.

Sem saber bem como, dou comigo já deitado.

Ela espalha-me um líquido no corpo, como que um óleo de massagem.

O que se segue é rápido.

Uns dez minutos.

No final ela elogia a minha performance.

Enfim...

Mais um electrocardiograma...

Wednesday, February 13, 2008

Eu sou a lenda...

...das piores adaptações de uma obra literária a filme alguma vez feitas, mas é!

Não me entendam mal, o filme até é engraçado, mas... Se o iam alterar tanto, não podiam ter usado um título diferente?

Descubra as diferenças:

(sim, eu sei que há aqui um espaço em branco enorme; a culpa é do Blogger, que mete estas linhas todas antes da tabela)












































































No livro...

No filme...

Robert Neville é, aparentemente, o último homem à face da Terra

Robert Neville é, aparentemente, o último homem à face da Terra

Para além de Neville, há zombies e vampiros, humanos infectados que não toleram a luz

Para além de Neville, há os noctívagos, humanos infectados que não toleram a luz

A filha e a mulher de Neville sucumbiram à praga; como Neville decidiu enterrar a mulher em vez de a incinerar, como exigiam as autoridades, ela regressou como vampira, atacou-o e ele viu-se forçado a matá-la

A filha e a mulher de Neville morreram num desastre de helicóptero

Neville procura uma cura

Neville procura uma cura

Neville barrica-se em casa todas as noites e sai durante o dia para recolher mantimentos e matar vampiros

Neville barrica-se em casa todas as noites e sai durante o dia para recolher mantimentos e esporadicamente capturar noctívagos para continuar os testes para a sua pesquisa pela cura

Todas as noites a casa de Neville é cercada e os zombies tentam entrar

Os noctívagos não fazem ideia de onde Neville mora

Neville encontra uma mulher

Uma mulher encontra Neville e salva-o de morte certa no último instante

A mulher está sozinha

A mulher traz consigo uma criança

A mulher é na realidade um vampiro que se faz passar por um ser humano normal para capturar Neville

A mulher vai a caminho de um campo de sobreviventes

Neville não encontra a cura

Neville encontra a cura

Neville é capturado


Neville morre para ajudar a mulher a fugir com a cura


Neville compreende que os vampiros já não são uma lenda, são uma realidade, e ele sim, é a lenda, o caçador que durante o dia sai para os matar

Neville é considerado uma lenda por ter descoberto a cura

Neville é, aparentemente, o último homem à face da Terra

Afinal havia um campo de sobreviventes e a mulher chega até lá com a cura



O filme, realmente, está bem feito. Tem um excelente actor, bons efeitos especiais, boa direcção, boa banda sonora...

Só não tem é nada a ver com o livro no qual se baseia e ao qual foi roubar o nome e dar-lhe um novo significado.

Ou seja, alguém leu o livro, achou giro, decidiu adaptá-lo a uma longa metragem, e de repente alguém disse:

- Pois, mas a história tem um final triste e inglório para o herói... Assim não presta, vamos mudar a história e por um final dos do costume, que assim toda a gente gosta!

Mas que raio de mania de se evitar finais trágicos!

Descubra as diferenças...

Entre a suposta Pizza Atlântica da Telepizza...



E o trambolho que me apareceu lá em casa...

Tuesday, February 12, 2008

Decisões


Só podemos fazer uma escolha até uma dada altura.

Chegada essa altura, se não fizermos uma escolha, é a escolha que nos faz a nós.

Bolas, que há decisões que são mesmo complicadas de tomar...

Monday, February 11, 2008

Metropolitano de Tóquio

Para dizer a verdade, acho que falar japonês vai ser o menor dos meus problemas...

Sunday, February 10, 2008

Basquetebol

Este fim de semana fui ver um jogo de basquetebol.

Dizem que o desporto dá saúde, mas eu não acredito... Vi duas pessoas serem retiradas do campo em braços, depois de duas entorses que certamente irão levar tempo a sarar...

Em todo o caso, vou-vos dizer o que aprendi...

Basquetebol...

É um jogo...

EX

TRE

MA

MEN

TE

...

SEXY

...

Sim...

Era basquetebol feminino.

Por outro lado, se calhar a coisa não foi sexy por causa do jogo em si, mas sim por causa da capitã de uma das equipas...

Wednesday, February 06, 2008

Dexter - começa hoje


Começa hoje, na 2:, a primeira temporada de Dexter, uma das mais fabulosas séries que vi ultimamente.

Michael C. Hall foi nomeado duas vezes para o Golden Globe de "Best Performance by an Actor in a Television Series - Drama". Da primeira vez perdeu para Hugh Laurie, o famoso Doctor House, e da segunda para Jon Hamm, por Mad Men (também tenho que ver essa).

Vejam.

Recomendo vivamente!

Mas, mas, mas...


É naquela... Eu não sei se queria um filho meu a participar num concurso com este nome...

Cloverfield

Este sim, um belo filme.

Primeiro vou-vos dizer sobre o que este filme não é.

Este filme não é sobre um gigantesco monstro que ataca Nova Iorque, destruíndo prédios como quem tropeça em legos e causando a confusão geral numa cidade repleta de pessoas que tentam desesperadamente escapar a uma morte certa nas presas deste ser ou uma menos certa causada pela derrocada de mais um prédio enquanto o exército tenta
por todos os meios travar a besta.

Não, este filme não é sobre isso, pois se fosse eu não o teria ido ver duas vezes.

Este filme é sobre o jovem que está prestes a ir trabalhar para o Japão e que vai deixar tudo para trás, incluindo a miúda que mais adora.

E quando tudo parece perdido, este jovem declina uma chance de sobrevivência escapando da cidade em prol de uma tentativa heróica e claramente suicida de se dirigir ao centro da cidade em salvamento da sua mais-que-tudo.

Nada de Hollywoodices.

Nada de explicações absurdas.

Apenas o caos, a destruição, e a certeza de ter que fazer algo.

Um filme fora do comum que me consegue dizer muito.

Die Hard o caraças...

Falemos primeiro de uma saga como Blade.

O primeiro filme até foi giro.

O segundo foi menos bom.

O terceiro? Eu nem chamaria aquilo um filme... Caçar vampiros com auscultadores nos ouvidos e música nas alturas? Mas isto cabe na cabeça de alguém?

Enfim, parece ser algo comum, isto das sequelas serem cada vez piores, e Die Hard não é excepção.

O primeiro foi bom.

O segundo foi menos bom, mas também foi giro.

O terceiro? Realmente foi mauzinho, mas... Pelos vistos alguém deve ter dito: "Calma! Nós ainda conseguimos fazer pior!" E toca de o provar a todo o mundo.

O filme conta com muita informática sem sentido que faz as disquetes que tenho no sotão tremer de medo.

Na primeira cena de acção, Bruce Willis, armado unicamente com uma pistola, consegue deter um grupo de cinco criminosos com armas pesadas.

Então? O gajo não era polícia, só? Quando é que ele teve treino especial?

A coisa procede enquanto Bruce se debate com miúdas do kung-fu (cair do segundo andar e regressar lá acima dentro duma carrinha é lindo), helicópteros e, até mesmo, um F-35 (que só deverá existir em 2012).

E sim, ele até do F-35 trata, munido apenas de um camião!

O filme é tão ridículo que eu nem sei como é que depois também não apareceu um Space Shuttle.

Anyway, a única coisa que eu tenho para dizer aos produtores é o seguinte: Nós já percebemos! Nós já sabemos que para vocês não há limite, que conseguem sempre fazer algo pior! E com isto quero deixar bem claro que nós já acreditamos, e que não é preciso fazer outra destas para nos provar nada, OK?

E agora, quem foi o gajo que me disse que o filme era bom, que é para eu ter uma conversinha com ele?

Ai, que eu nem quero imaginar o Rambo 4...

112

Nesta altura em que tanto se fala do serviço nacional de urgências, também eu vos vou contar a minha experiência quando precisei deles.

Poupando-vos a pormenores, depois da mais tortuosa queda de bicicleta da minha vida, levei as mãos aos punhos da dita, para me levantar.

A minha mão esquerda foi ter ao guiador.

A minha mão direita foi ter à minha perna.

O guiador estava lá dentro.

Depois de puxar o punho da bicicleta para fora e de gritar desalmadamente, consegui alcançar o telemóvel e, em estado de choque, marcar o 112.

- Sim? Eu caí de bicicleta e espetei o guiador na perna!

- Calma, onde é que você está?

- Estou em XXXXXXXXXXX.

- E o que é que lhe aconteceu?

- Caí de bicicleta e espetei o guiador na perna!

- E agora, precisa de uma ambulância, é?

Já me fizeram perguntas parvas...

Mas esta bateu todos os recordes.

Tal foi a surpresa de receber a pergunta que o meu cérebro ponderou a possibilidade e a minha boca proferiu as seguintes palavras:

- Deixe-me ver como é que eu estou...

Fiz uma força descomunal, como faria nas semanas seguintes para o mais pequeno dos gestos, levantei um pouco a cabeça e o tronco, olhei para a minha perna e tornei a ver, na minha perna, junto à virilha, um buraco do diâmetro do punho da bicicleta, tão profundo que o Sol de uma tarde de Verão não iluminava o suficiente para que lhe pudesse ver o fundo.

Dali eu não saía. Dali eu não me mexia.

Deixei-me cair para trás.

- Estou? Estou?

Do outro lado, a chamada tinha sido desligada, provavelmente porque alguém achou que se tratava de uma chamada falsa, e do meu lado, um jovem de 20 e poucos anos, em estado de choque, nem sequer tinha a ideia de tentar ligar outra vez e se esvaía em sangue numa estrada deserta.

Valeu-me um homem que conduzia a sua carrinha por aquela estrada para fugir ao trânsito.

Parou, saíu, levantou-me, meteu-me na carrinha e arrancou como um louco em direcção ao hospital.

Era uma Quinta-feira.

Friday, February 01, 2008

Fim de semana alucinante

O fim de semana ainda nem começou, mas quase aposto que vai ser alucinante.

4 cidades em 4 dias?

2 países?

Distância mínima entre cidades de 150 quilómetros, distância máxima de 2,000 quilómetros?

E cá vou eu...

Wednesday, January 30, 2008

Mais alguns blogs interessantes

Novo ano, nova ronda.

Apenas quatro.

Ivo Gomes - o blog do Ivo continua com a mesma qualidade que quando o vi pela primeira vez. Não, esperem, minto... Tem ainda mais qualidade.

Carlos Andrade - num mundo em que toda a gente tem blogs, poucos são os que conseguem dizer coisas interessantes e originais. O Carlos é uma dessas pessoas e o blog dele é um blog a seguir.

Bad Girl - e sabem qual é o melhor aspecto sobre o blog dela? A escrita. Agora se ao menos não houvesse uma cabala para eu não conseguir ler um dos livros dela, isso é que era...

Tiago Grilo - leiam este post e ficam a perceber porque é que sigo o blog do Tiago.

Desta vez são só estes. Para a próxima há mais.

Mais novidades sobre a ida ao Japão

Primeiro deixem-me dar-vos uma ideia da enormidade que é Tóquio.

Não é uma cidade.

É uma mega-cidade.

Mais de 12 milhões de habitantes (mais de 20 milhões, se contarmos a periferia).

Mais de 2,000 quilómetros quadrados (para comparação, Lisboa tem apenas 85; sim, são mesmo 85 contra mais de 2,000, que a cidade foi criada a partir de 23 outras cidades).

Em Tóquio, é comum ir à casa de um amigo e demorar hora e meia para lá chegar.

Pronto, é assim grande, estão a ver?

E nessa cidade enorme, sabem onde é que eu vou ficar?

Sabem, sabem?

A cinco minutos a pé do local da conferência!

E como se isso não fosse suficiente, a Karen vai-me buscar ao aeroporto!

Mas eu sou um gajo com sorte ou sou um gajo com sorte?

E mesmo que alguma coisa corra mal, já consigo perguntar direcções em japonês.

Cultura geral

Há uns anos atrás, estava eu num computador a ler uma lista de curiosidades.

À minha beira estava uma das pessoas com mais cultura geral que conheço.

Infelizmente, a lista de curiosidades, em português, tinha sido traduzida directamente do inglês por alguém com... menos inteligência que o costume...

Nisto, eu leio ao meu colega uma curiosidade em voz alta:

- Hum... Sabias que só há um país cujo nome começa e termina numa vogal?

Há uma breve pausa e ele diz:

- E é o Azerbeijão ou o Afeganistão?

(E, a título informativo, a curiosidade referia-se à Albânia)

Três chás

Tenho uma teoria sobre chás...

Já repararam que há chá preto, chá verde, chá branco, etc?

Pois bem, a minha teoria é esta: só há três chás!

E são eles o chá amarelo, o chá azul e o chá magenta!

Exacto, e depois é só misturar os vários chás como quem mistura cores primárias e o resultado são os outros chás que vemos por aí.

E dizem vocês: "Mas, mas, mas... Eu nunca vi chá amarelo! Nem chá magenta! E muito menos azul!"

Ora nem mais!

Eu acho que há um motivo para tal... Esses três chás devem ser tão horríveis que ninguém os compraria. Vai daí, alguém teve a ideia: "E se os misturássemos um pouco uns com os outros?"

E puff... Fez-se o chá-capix!

Hamburgueres e telemóveis

Cenário: Burger King.

Duas pequenas mesas juntas e nós ocupávamos uma delas. Um tabuleiro à frente de cada um e os telemóveis pousados ao nosso lado.

Nisto, um rapazito com os seus 8 anos vem até nós, pousa os braços em cima da mesa livre ao nosso lado e diz-lhe, com a voz mais meiga que conseguiu fazer:

- Pagas-me um hamburguer?

A pessoa à minha frente nem ouviu bem o que ele disse e respondeu negativamente, pensando que ele queria uma moeda.

E de repente, o rapaz faz a pergunta seguinte:

- Dás-me um telemóvel?

- Não.

O miúdo começa a apontar para os telemóveis e diz:

- Não me podes dar este?

- Não.

- E este?

- Também não.

- E este?

- Também não.

Como não havia mais telemóveis para pedir, o rapaz desistiu e seguiu caminho.

Sim, sim, eu sei. Estão a pensar "E não deram um hamburguer ao rapazito?"

Calma! Não me batam já! Eu tinha percebido a primeira pergunta do miúdo e não disse nada logo porque tinha a boca cheia quando ele chegou e depois quis ver até onde ia a conversa dos telemóveis.

De qualquer forma, não foi preciso puxar da carteira.

Há pessoas que se conseguem ler de uma ponta à outra, e a senhora que estava ao balcão e para quem o miúdo se dirigiu a seguir era uma delas.

Seria muito difícil aquela senhora, mãe há pouco tempo, prestes a fazer o seu pedido, recusar comida aquele rapazito.

Mas não se preocupem, que se tivesse recusado eu não o teria deixado passar fome.

Agora o telemóvel...

Monday, January 28, 2008

Manual de instruções

E diz-me ela:

- Eu uma vez fiz o meu manual de instruções e dei ao meu ex-namorado.

Dali a nada ela continua:

- De qualquer das formas, o burro continuou a usar o produto sem dar atenção ao manual e lixou-se.

Coisas de Portuga...

O horário de visita ao Moskva era das 14h às 18h.

Chegamos lá pelas 14h10.

A fila era grande e avançava lentamente.

Valeu-nos o Pedro, que nos explicava o que era cada parte do navio à distância, durante as 2 horas que se seguiram.

Finalmente, lá entramos.

Uma hora depois, saíamos da embarcação, e passamos depois algum tempo de volta dela, a tirar mais fotos e a ver por fora o que tínhamos visto por dentro.

Ao abandonar a doca, o segurança, português, mantinha o portão fechado para não entrar mais ninguém, deixando apenas sair as pessoas que terminavam a visita (do lado de dentro do portão ainda havia uma fila suficiente para entreter a tripulação do navio durante bem mais de uma hora).

Do outro lado do portão, as pessoas resmungavam com o homem:

- É sempre a mesma m*rd*! Uma pessoa aqui na fila, chega aqui ao portão e depois não entra!

Desculpem, mas...

A "mesma m*rd*" de sempre é o pessoal que tem a mania que, se uma coisa termina às X horas, só tem que lá chegar cinco minutos antes.

Não, eu explico...

Amiguinhos, às X horas é quando se tem que sair. A hora de chegada tem que ser as X menos o tempo da visita.

E o mais impressionante é que, conforme nos afastávamos, continuávamos a ver famílias a estacionar o carro e a dirigir-se à doca...

Slava class cruiser RFS Moskva :: Ou seja, um navio de guerra russo

Este fim de semana esteve cá em Lisboa o RFS Moskva, um Slava class cruiser.



Esteve aberto ao público e eu aproveitei para lá ir com uns amigos.

Um deles serviu de guia, já que sabia tudo e mais alguma coisa sobre a embarcação.

Antes de mais, alguns dados estatísticos:

- 190 metros de comprimento
- 500 tripulantes
- velocidade máxima: 34 nós (mais de 60 quilómetros por hora)
- 16 mísseis, 25 metros de comprimento cada, alcance de 500 quilómetros
- canhão duplo de alta velocidade, com projécteis de 130 milímetros, alcance de 20 quilómetros
- 1 helicóptero
- mais os lança granadas anti submarino, os jammers, os tubos de torpedos, os mísseis terra-ar, as várias AK-630, etc, etc e tal

Para além de termos guia no grupo, a visita também era guiada, pelo que recebemos ainda mais informação de que o nosso guia não dispunha, como por exemplo, sobre os exercícios que eles se encontram a fazer nesta zona do globo ("sim, sim, usamos uma ogiva nuclear nos testes, porque os alvos são tão pequenos que as ogivas não chegam a detonar").

Um pormenor interessante dos navios de guerra russos face aos outros é o facto de terem armamento em tudo quanto é espaço.



Os mísseis são um dos pontos de relevo do navio. Aqueles tubos (8 de cada lado do navio) contêm um míssel cada um. E cada um daqueles é um verdadeiro monstro.

Para vos dar uma ideia do poder daquelas coisas, os Slava foram feitos para destruir porta-aviões e, para além do apoio vital na caça a submarinos, uma das razões porque possui um helicóptero consiste em conseguir ter um ponto de visão avançado que permita detectar um porta-aviões a uns 500 quilómetros, de forma a disparar na direcção correcta.

Os mísseis são disparados na direcção certa, mas não em direcção ao alvo. Quando se aproximam, aí sim, ligam o seu sistema de direccionamento, detectam algo que se assemelhe a um porta-aviões e atiram-se a ele.

Quando estão mesmo perto do alvo, efectuam uma manobra de diversão por defeito, lançando-se ao ar, rodopiando e finalmente caíndo sobre o adversário.

O míssel entra pelo convés adentro, afunda-se no porta-aviões, e só aí é detonada a sua ogiva nuclear de 1 tonelada.

(eu não percebo muito disto, mas como a bomba de Hiroshima só tinha uma ogiva de 60 quilos, presumo que esta faça alguns estragos...)

Mas não fiquem já a pensar: "Bolas, há navios mesmo grandes e com imensa capacidade bélica..."

Sim, porque os Slava não são lá grande coisa, quando comparados com os Kirov, os seus predecessores...

Os Kirov só têm 250 metros de comprimento, só carregam mais 18 mísseis, mais 2 helicópteros, etc, etc e tal. Estes já não destruiriam apenas um porta-aviões, mas sim uma frota inteira.

Infelizmente, os Kirov eram tão caros que o risco de perder um era algo de impensável. Vai daí, a Rússia decidiu, a dada altura, fazer uns barquitos "mais pequeninos."

Mas voltemos ao Moskva.



Precauções como "ninguém se pode aproximar dos radares porque a radiação que eles emitem mata uma pessoa ao fim de uma hora" têm que ser levadas em conta, neste menino. Quando um míssel é disparado, por exemplo, o convés tem que estar desimpedido, só mesmo para evitar estar naquela atmosfera de 300 graus centígrados que se cria.
http://www.blogger.com/img/gl.link.gif
Outro pormenor a salientar, e que já não tem nada a ver com o navio propriamente dito, foi a grande quantidade de visitantes que falava Russo; e para qualquer direcção que se olhasse, na doca, encontrava-se um marinheiro a matar saudades da família afastada.

Em suma, foi uma tarde bem passada. Obrigado pela dica, Pedro!

Mais fotos aqui.

O que é que está mal aqui?



Eu digo-vos o que é que está mal...

O site dos Bombeiros de Portugal está em http://www.bombeirosdeportugal.com/.

Eles dizem que o site deles está em http://bp.com/.

O site http://bp.com/ pertence, claro está, à BP.

Alguém me explica como é que se comete uma gaffe destas?

Friday, January 25, 2008

Mais uma situação (potencialmente) embaraçosa

Algumas horas de conversa e finalmente senti-me à vontade para perguntar:

- Então e de que parte do Brasil é que és?

- De Lisboa!

Mania de irem para o estrangeiro e apanharem o sotaque para depois voltar e enganar um gajo...

Jogar / Investir na bolsa

Pois é, de modo que decidi investir na bolsa.

Sim, "investir", porque "jogar" é o termo errado.

Comecei por ler sobre o assunto, e por fazer perguntas a pessoas que já o tinham feito e que percebiam mais do assunto que eu.

Finalmente, a primeira jogada... Oops, o primeiro investimento!

Empresa: Apple Inc.

Motivo: Vinha aí a nova keynote do Steve Jobs (para quem está por fora do assunto, o manda mais lá da zona ia fazer a sua apresentação anual dos novos produtos, o que significa, geralmente, um aumento das acções garantido, logo após o dia 15 de Janeiro).

Pois é, preparei-me, organizei tudo...

E depois pensei um pouco...

Ou melhor, meditei sobre o assunto...

E o meu cérebro disse-me: "Algo está mal... Isto não faz sentido..."

Não conseguia explicar, mas realmente havia informação que não batia certo...

E eis que tomei uma nova decisão para esta minha primeira incursão na bolsa... E não comprei acções da Apple.

Resultado: as acções da Apple, no último mês, e para espanto de muita gente, baixaram quase 30%.

Reparem, eu decidi entrar no mercado, e a minha primeira decisão foi a de não comprar acções de uma empresa que toda a gente recomendava, e essa empresa perdeu quase 30%...

É naquela, eu ainda não ganhei dinheiro nenhum na bolsa, mas se calhar até tenho jeito para isto...

Thursday, January 24, 2008

Tabaco

E diz ele:

- Se há sítio onde o tabaco me incomoda é no restaurante!

A mim também... Mal encontro um cigarro no prato fico logo sem apetite!

E os insultos continuam

Ele vira-se para mim e diz:

- Porco.

Eu sorrio, há um momento de silêncio e ele diz:

- Diz-me lá, fui o primeiro, hoje?

Eu sorrio novamente e digo:

- Não, foste o segundo...

- Ah, bolas... Mas tudo bem, há sempre o amanhã...

Jantar de assédio

Ei, foi ela quem lhe deu o nome.

E insistiu em pagar!

Wednesday, January 23, 2008

Mas onde arranjas tu tempo para escrever?

Volta e meia alguém lê um post meu a meio do dia e diz-me:

- Mas onde arranjas tu tempo para escrever? Será que não trabalhas e passas os dias nos blogs?

Não, meus amigos...

Se for um post curto, como por exemplo um excerto de uma conversa, possivelmente até o terei escrito na hora, mas quando se trata de um post mais longo, o mais provável é que eu o tenha escrito no dia anterior à noite.

E agora com licença, que vou tomar banho para depois me deitar.

Mas, mas, mas...

Sem mais nem menos, ela vira-se para mim e diz:

- Porco!

Mas, mas, mas...

Porque será que toda a gente me insulta, hoje?

Esperem lá...

Será porque...

Sim...

Só pode...

Deixa lá perguntar-lhe...

Sim...

É isso...

Ela confirma...

Só podia...

É mesmo...

É porque...

Eu vou ao Japão!

Já me estava a esquecer...

Japonês

E eis que revejo o meu japonês.

Há dias alguém me dizia qualquer coisa como "não páras de me surpreender."

Bom, eu não "falo" japonês...

Mas sim, eu "sei" algum japonês.

Basicamente, foram 2 anos de aulas de japonês e mais de 10 anos de karate, nos quais convivi bastante com japoneses.

Infelizmente, já lá vai algum tempo e, como decerto saberão, é complicado arranjar com quem praticar japonês em Portugal.

Seja como for, o meu iPod já contém as minhas aulas de japonês novamente.

Play.

Tuesday, January 22, 2008

Japão, cá vou eu!

Sim, é oficial. Já tenho os bilhetes.

Parto dia 12 de Maio (uma Segunda-feira) e regresso a 23 (Sexta-feira da semana seguinte).

Vou ficar em casa da Karen, o que significa que a estadia me ficará (praticamente) de graça.

Tenho que fazer uma lista dos preparativos a realizar.

Sunday, January 20, 2008

Transmissão de doenças entre espécies

Há pessoas que acham estranho que umas doenças possam passar de um animal para o homem e outras não...

Explicar isto é muito fácil...

Primeiro, pensem em constipações, e conseguirão imaginar com facilidade um homem constipado ou um gato constipado...

Depois, pensem em alergias... e tentem imaginar uma abelha alérgica ao pólen...

Friday, January 18, 2008

Eu sei que daí não dá para ver...

Mas isto sou eu a espreguiçar-me e a bocejar...

Wednesday, January 16, 2008

Cinema. Alguém?

Quero ver, entre outros:

Alguém me quer fazer companhia para algum destes?

Monday, January 14, 2008

Estas miúdas...

- Queres ir tomar um café?

- Ai é? Com a outra vais a bailados, e a mim levas-me a beber café!

Bolas... Da próxima já nem convido...

Insónia

Alguém me cura estas insónias, por favor?

Com jeitinho, sim? É que eu estou muito cansado, por isso há que manejar com cuidado...

(Ah, e obrigado à pessoa que me ajudou a descobrir a causa das insónias...)

Amor-Ódio

As relações amor-ódio são tão estranhas, não são?

Sunday, January 13, 2008

Roupa a mais

Gostava de dizer que foi um fim de semana calmo e que pouco saí de casa...

Realmente, pouco saí de casa, mas tive uma ideia perigosa...

Reorganizar o meu guarda-fatos!

Literalmente.

Primeiro, arranquei-lhe as portas.

Sim, portas para quê?

Bem, realmente elas têm espelhos bem grandes que até dão jeito, mas no sítio onde estavam, não ajudavam lá muito, de modo que tirei as portas fora e as coloquei noutros pontos do quarto.

Depois tirei a roupa cá para fora e levei-a para a sala. Fiz uma pilha de roupa em cima do sofá.

Tinha imensa roupa por passar a ferro, de modo que lá peguei na tábua, liguei o ferro e comecei a trabalhar...

Horas depois, 25 camisas estavam passadas e penduradas nos cabides.

Depois?

Depois foi a vez das t-shirts.

E não, eu não tenho só t-shirts pretas!

E, para dizer a verdade, tenho t-shirts a mais...

À medida que ía dobrando roupa, sentia-me como o dono de uma loja, que fecha uma vez por ano só para fazer inventário.

- Mas como será que cheguei a este ponto? - perguntava-se ele - Será que a dada altura deixei de passar roupa a ferro e passei a comprar em vez de a passar?

Havia, realmente, um mistério no ar.

Peça após peça de roupa, o sofá começou novamente a vislumbrar o mundo e a respirar sofregamente (sim, que ele não está habituado a tanto tempo sem respirar).

A dada altura encontrei uma t-shirt que não era minha...

- Lá está! É muita roupa porque há aqui roupa que não é minha...

Com estas palavras olhei em redor e refiz o meu pensamento:

- Nã... Uma t-shirt em 96 não é desculpa...

Sim.

96.

Conforme via que o molho de t-shirts por dobrar chegava ao fim, olhava para a pilha das calças e agasalhos e dizia mal da minha vida pela minha triste ideia...

Horas mais tarde e quatro gavetas estão repletas de roupa interior.

No armário, por baixo dos cabides, várias pilhas de roupa lado a lado... Roupa de cama, toalhas, agasalhos, t-shirts...

E agora, onde colocar o resto?

A necessidade começa a aguçar o engenho e novas hipóteses surgem no meu cérebro...

- OK, ainda há ali os armários embutidos junto ao tecto... E ainda há espaço debaixo da cama, onde posso arrumar roupa fora de época dentro das malas e sacos de viagem...

Dito e feito, alguma roupa vai parar a sacos de viagem debaixo da cama...

É engraçado que quando era miúdo nunca tive medo do que havia debaixo da cama, mas agora tenho...

Uma pequena reorganização, algumas gavetas a queixar-se que estão a ter mais trabalho que o costume e mais uma epifania na minha mente:

- Não admira que nenhuma miúda se mude para cá... Onde raio é que ela iria meter a roupa?

De repente, uma breve pausa a imaginar a possibilidade de morar com uma miúda que não tivesse roupa...

E novo regresso ao trabalho!

De vez em quando, um novo desafio...

Onde colocar uma toalha de praia? Uns calções? Então e os casacos? E os fatos de treino? De quem é este saco-cama?

Penduro fatos e gravatas, arrumo o calçado e, passo a passo, tudo começa a estar organizado e a fazer sentido...

E de repente, aquele som horrível...

Ou melhor, a horrível ausência daquele som...

A máquina de lavar tinha terminado! Vinha aí uma nova remessa!

Puxo do estendal, estendo a roupa e dou-lhe instruções para não secar depressa.

Dito isto, entro no quarto, olho para o cesto de roupa para lavar, que está quase cheio e sinto a tristeza percorrer-me conforme me apercebo de que ainda vou ter que fazer mais uma máquina...

Encontrar algo no guarda-fatos torna-se uma tarefa mais simples, mas também mais arriscada... Na minha cabeça ouvem-se as palavras que prenunciam o desastre:

- Se esta pilha de t-shirts tomba morro aqui sufocado e só dão comigo daqui por uma semana...

Ou talvez mais cedo, que ouvi dizer que faço falta na empresa.

De repente, mais uma má notícia: algumas das últimas t-shirts escondiam ainda mais uma carrada de meias!

- Ah, malditos Natais numa família com tantas tias... E agora? Como é que as vou meter nas gavetas e fechá-las se já para as abrir vou ter dificuldade?

Conforme me sinto a terminar, uma dezena de calças olha ainda para mim e queixa-se:

- Então e nós?

Aproximo-me e pego nelas.

Uma delas grita-me:

- És um dono horrível! Já nem te lembravas de mim! Somos tão giras e nunca nos vestiste!

Eu respondo:

- Também não vai ser agora, que engordei um bocadito e já não me serves... Mas prometo que vou fazer exercício só por tua causa!

Com estas palavras pouso-as numa cadeira no meu quarto sem lhes dar hipótese de resposta e sigo novamente para a sala.

Pego nas meias que faltam e dobro-as.

Algumas são iguais mas parecem ter decidido desenvolver tonalidades diferentes só para me dar cabo da vida...

Eu vou associando os pares e também mudo de cor algumas vezes...

Termino, olho para a roupa que falta e anuncio:

- Muito bem... Quem não fizer parte de um grupo que já tenha local de repouso está em maus lençóis...

Algumas sweat-shirts encolhem-se e fazem-se passar por t-shirts.

Como já há pouca roupa sinto-me mais bem disposto e decido deixá-las ir para a segunda pilha de t-shirts sem grande alarido... Pelo menos sempre ajudam a amparar a primeira...

Verdade seja dita, sempre que saio do quarto e entro na sala, parte de mim contorce-se, à espera de ouvir o som das t-shirts a cair...

Nisto, sinto que falta qualquer coisa...

- Os meus kimonos? OK, provavelmente estão num daqueles armários de cima... Mas não os vou abrir, que tenho medo...

À medida que tudo começa a estar no lugar, tento não pensar na mochila com roupa que deixei em casa de alguém, na passagem de ano, e para a qual ainda vou ter que arranjar espaço...

O sofá fica finalmente vazio...

Tudo está no lugar...

Respiro fundo e entro no quarto...

Sento-me na cama...

Olho para o guarda fatos...

E penso...

- Mas que raio vou eu vestir amanhã?

Saturday, January 12, 2008

Japão... Será que é desta?

E digo-lhe eu:

- Queres ir ao Japão?

- Tens um bilhete a mais?

- Não... Mas se couberes na mala... E depois, ao passares no raio-x, tens que fazer de conta que és um molho de roupa...

- Vai ser complicado... Tenho mais de 100ml de sangue...

- Dás sangue antes de ir... Bué dele!

- Pois, pois... Tu queres é que eu morra!

- Ei, eu perguntei-te se querias ir, não perguntei se querias ir e vir...

Thursday, January 10, 2008

Estes gajos estão doidos...

Há um serviço de marcação de viagens pela net que em tempos eu usei.

Os preços são bons, mas o serviço é uma treta, de modo que deixei de o utilizar.

Ainda assim, costumo lá ir sempre que quero marcar uma viagem, porque assim fico com um bom preço para ter algo com que comparar o que uma outra agência me propuser.

Hoje fui ver uma viagem para o Japão e... Estes gajos só podem estar doidos...

O aeroporto Charles de Gaulle, para quem não sabe, é um dos mais complicados do mundo.

Não é que o voo que o site me sugeriu...

Me faz aterrar no Charles de Gaulle às 11:50...

E apanhar um voo noutro terminal às 12:00?

Estes gajos estão doidos, só pode!

Mas tudo bem, eu já devia estar à espera disto.

Afinal, há uns anos atrás, quando os usei pela última vez, o meu check-in de Chicago para Lisboa deu problemas...

O sujeito que me estava a atender chamou um colega e disse-lhe:

- Não sei o que estou a fazer de errado... Consigo despachar a bagagem deste senhor até Londres, mas não a consigo despachar directamente até Lisboa, e devia...

O outro olhou com atenção para o monitor e disse:

- Olha, eu já percebi o que se passa... Este senhor chega a Londres no aeroporto de Heathrow, mas sai de lá no aeroporto de Gatwick... E de modo algum vai conseguir fazer a viagem de um aeroporto ao outro a tempo de apanhar o avião...

Lá resolvi eu o problema e posteriormente queixei-me à empresa que me tinha vendido os bilhetes. Eles estrebucharam e atiraram-me à cara que a responsabilidade era minha.

Vai daí, menos um cliente.

Essa viagem de Chicago para Lisboa, por sinal, teve muitos mais aspectos que correram mal...

Mas nada que se compare a viajar pela Iberia através de Madrid, claro! Mas essa história fica para um post futuro...

Oh, bolas!

Um tipo passa umas horas a pensar: "Não me posso esquecer de tomar o comprimido, não me posso esquecer de tomar o comprimido!"

Chega a hora, enche-se um copo, pega-se no comprimido, mete-se o dito na boca, copo, glup, engole-se o comprimido e de repente faz-se luz: "Espera aí... Eu hoje não devia tomar o comprimido..."

Oh, bolas!

Ele há vozes...

É impressionante o que um certo olá pode fazer para animar logo o dia.

Se calhar devia-lhe telefonar todos os dias de manhã, para ouvir mais vezes aquele olá :-)

Wednesday, January 09, 2008

Procura-se!

Procura-se:

Mulher inteligente, divertida, moderadamente abusiva, sem a mania de ser boa na cama mas determinada a tentar.

De preferência que goste de gatos (mas não é preciso gostar muito, que eu até sou alérgico) e de comida japonesa (vá, aqui já podem compensar o não gostarem muito de gatos).

Que goste de viajar, de música, de ir a bailados e a óperas. Que goste de mimo e de carinho e de palavras doces de vez em quando e de gestos de afecto de quando em vez.

Oferece-se:

Espécime do sexo masculino emocionalmente atípico, divertido, inteligente e, segundo alguns especialistas da matéria, um pouco louco (mas não se assustem, que desde que ele tome os comprimidos de 24 em 24 horas, é uma pessoa mais ou menos normal).

Dizem que o espécime sabe fazer massagens e outras coisas mais como deve ser.

Pede-se:

Mesmo que não seja e não conheça esta mulher, por favor passe a mensagem. Alvíssaras a quem a encontrar ou fizer encontrar-me.

Respostas:

Respostas como comentário ou por mail.

Também se aceitam respostas em pessoa.

Monday, January 07, 2008

Friday, January 04, 2008

Desculpas...

E diz ele:
- É simples! Eu sou alérgico a ácaros, e a cama é o ambiente ideal para eles, mas se eu cobrir a cama com os lençóis eles ficam no escuro e ainda proliferam mais! Por isso é que eu não posso fazer a cama!

Wednesday, January 02, 2008

Gatos: nomes curtos ou nomes compridos?

Dizia alguém:
- Não, os gatos têm é que ter nomes compridos, com pelo menos três sílabas, senão tu chamas, chamas, chamas e nada!
Há uma breve pausa e faz-se luz na cabeça de alguém:
- Realmente, quando lhe chamo estúpido ele parece perceber melhor...

Tuesday, January 01, 2008

Ah, homem do campo!

Conforme tentávamos tirar cenouras da terra, só nos saíam cenouras pequenas.
O senhor José aproximou-se lentamente e nós dissemos:
- Só há cenouras pequenas...
O homem ri-se (de nós) e diz, com um sorriso:
- Mas querem ver que alguém as roubou?
Ele chega à nossa beira e diz:
- Mas também há aí cenoura grande.
- Pois, mas como estão debaixo da terra não dá para ver...
- Ora, isso vê-se logo pela rama!
Nisto o homem baixa-se e arranca-nos umas duas ou três cenouras bem grandes.
Ele olha para o chão em redor e diz:
- Ai mas roubaram, roubaram... Ou então foram os ratos.
Baixa-se, agarra uma rama e puxa cá para fora uma cenoura grande mas sem uma boa porção no fundo.
Diz ele:
- Foram ratos, foram...
Vendo que a parte debaixo era a que faltava, um de nós disse o que nos parecia ser óbvio:
- Ou então toupeiras...
E foi então que, com um ar de quem acaba de ouvir a frase mais ridícula de todo o dia, ele disse:
- Ora... As toupeiras não comem cenouras...

Ano Novo... Vida Nova?

Veremos, mas palpita-me que muita coisa irá mudar, este ano.

Acho que vou fazer uma lista das coisas a mudar e tratar delas uma por uma.