Sunday, September 06, 2009

A casa

Comecemos pelo edifício.

39 andares, 15 apartamentos por piso, com a excepção dos últimos, que têm menos e maiores habitações.

Os apartamentos neste edifício não são pequenos. É um prédio de luxo.

Há duas recepcionistas no hall de entrada (que mais se assemelha à entrada de um hotel de cinco estrelas, mas melhor), uma biblioteca, um ginásio, uma sala comum com enormes ecrās de televisão e cadeiras que fazem massagens, etc. Ainda não vi tudo.

Há imensos pormenores de segurança, como uma equipa de salvamento (basta carregar num dos botões de emergência e eles vêm a correr para nos salvar do que quer que seja (eu sei porque já se experimentou).

Estamos no vigésimo quarto andar, com uma vista absolutamente brutal. Há cidade a perder de vista. Ao longe, se o tempo estiver limpo, vê-se o monte Fuji.

A casa tem dois quartos grandes, uma cozinha bonita e espaçosa, uma sala de meter inveja a muita gente e mais uma série de compartimentos como o escritório e uma excelente varanda.

Só o chuveiro é maior que o meu quarto de banho em Portugal (e o dito até nāo é pequeno).

Na casa anterior da minha anfitriā, a professora de japonês dela fazia comentários sobre a dimensāo da casa: talvez tivessem uma grande família e por isso necessitariam de tanto espaço, por exemplo.

Aqui, pelos vistos, já nāo tece comentário nenhum. Resignou-se e assumiu que são ricos.

Nunca estive tão bem alojado. Acho que quando for para ir embora vāo ter que chamar a equipa de segurança para me arrastar porta fora, porque eu claramente não vou querer sair...