Saturday, March 20, 2010

Lenços de papel

Hora de ponta.

As portas do comboio fecham e a composição inicia a sua marcha.

Pouco depois um homem entra na carruagem e dirige-se a todos os presentes com voz firme e discurso ensaiado à medida que atravessa a multidão:

- Muito boa tarde, senhoras e senhores. Quem costuma viajar neste comboio sabe quem eu sou. Sabe que sou sem abrigo e sabe que sou pessoa de bem. Também sabe [...]

O discurso continuou até ele anunciar que tinha consigo lenços de papel para vender; também dizia que mesmo que não necessitassem dos lenços qualquer ajuda seria bem vinda.

Chegado ao final da carruagem e do seu discurso, dá meia volta e cruza novamente a multidão.

Quando ele passa, um jovem mete a mão ao bolso puxando da carteira e pergunta:

- Quanto é?

- Dois euros - estendendo o pacote de lenços de papel.

O rapaz recolhe a mão em exclamação:

- Dois euros?

- Eu tenho que ganhar qualquer coisinha!

...

Passaram-se dias.

Hoje fui ao super-mercado.

Comprei uma embalagem de 10 pacotes de lenços de papel.

0,89 euros.